Bem-aventurado aquele que, ausente
do rebolio, trfego e tumulto,
v de longe as perdas e insultos,
que faz o mundo vil da ncia gente.
Aos cuidados tem posto freio,
mui alheio
do perigo
que consigo
traz a vida
que, embebida
no peonhento gosto da cobia,
o fogo com que arde assim atia.

No se mantm no gosto dos favores,
enlevado em falsas esperanas;
vis lhe parecem e baixas as privanas
dos Prncipes, dos Reis e dos Senhores;
por abundncia tem e por riqueza
a pobreza;
que, imiga
da fadiga,
no contente,
descontente
por ver o corao que, por viver
sem cuidado e temor, quis pobre ser;

pisa, com peito forte e animoso,
as ambies que os olhos de alma cegam;
despreza as vs promessas que enlevam
ao vo pensamento cuidadoso
— este por mau e por perverso sempre tive —;
e assim vive,
porque a vida
consumida
com cuidados
escusados,
e sujeita a desconcertos da Ventura,
no vida vital, mas morte pura.

No tiram o doce sono as lembranas
importunas do bem ou mal futuro;
os vrias sucessos v seguro,
livre de medo, isento de mudanas.
E posto que a vida breve seja,
no deseja
entend-la;
goza dela,
que parece
que enriquece.
Porque a vida ocupada em buscar vida,
acha-se mal gastada e no crecida.

No anda entre amigos encobertos,
a perigos imensos avisado;
mas, com nimo constante e sossegado,
goza dos coraes leais e certos.
Quando o bravo mar furioso
belicoso
fogo acende,
e pretende
com estranha
ira e sanha
roubar a cara paz c na terra,
com sossego est-se rindo da guerra.

No ouve da trombeta temerosa
o rouco som que assombra o esforado;
no teme do cruel e vo soldado
a espada de sangue cobiosa;
nem o pelouro da espingarda saindo,
retinindo,
pelo ar voa
ledo e soa;
mas descendo,
no se vendo
vai ferir entre muitos o coitado,
que tal caso est bem descuidado.

E posto que o livre entendimento
cativa a vista, e regra a lei que segue,
e a outra vontade a sua entregue,
refreando o errado pensamento;
contudo, tem mais certa liberdade
a vontade
que aceita
ser sujeita,
porque os danos
e enganos
que procedem do prprio parecer,
senhor de si a um no deixa ser.

Ora da baixa terra alevanta
o esperto pensamento ao cu fermoso,
e da vida e de si mesmo queixoso,
morre por possuir riqueza tanta;
ora com doces ais o cu rompendo,
e gemendo
diz a morte:
dura sorte,
se vieras
e me deras
um golpe to esquivo que morrera,
por verdadeira vida te tivera.

Luís Vaz de Camões
[BEM-AVENTURADO AQUELE QUE AUSENTE]
Voltar