No claro dia, agora
      Frente a frente, ó minh’ alma,
      Leiamos nossa sina...
Vejamos ante Deus quem somos, ora
Olhando esta extensão de rio calma,
Ora a nossa alma □ e divina...

      Façamos pelo pensamento
      A nós uma revelação.
      Apocalipse de sombra, exposto ao vento,
      Da nossa imperfeição.

3 - 10 - 1915

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar