A vida é uma ilusão
E o nosso vago embrião
Da existência fugaz e indefinida
Tem por seus só a dor
E o lívido pavor
E a escura noite fria e vã da vida
E o desassossego imortal
De quem por ilusão conhece o bem e o mal

[23-7-1911]

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar