As companheiras que no tive,
Sinto-as chorar por mim, veladas,
Ao pr do sol, pelos jardins…
Na sua mgoa azul revive
A minha dor de mos finadas
Sobre cetins… 

 


Paris, agosto de 1914
Mário de Sá-Carneiro
Voltar