Pobres das hostes
Perdidas sem ser
Por entre os caminhos
Do acontecer.

São grandes armadas
Que a bruma formou.
Foram derrotadas
E por isso eu sou.

Eu sou a derrota
Daquele passado
De que me não lembro
E de quem sou nado.

23 - 9 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar