Tornar-te-s s quem tu sempre foste.
O que te os deuses do, do no comeo.
      De uma s vez o Fado
      Te d o fado, que um.

A pouco chega pois o esforo posto 
Na medida da tua fora nata —
      A pouco, se no foste 
      Para mais concebido.

Contenta-te com seres quem no podes
Deixar de ser. Inda te fica o vasto
      Cu pra cobrir-te, e a terra,
      Verde ou seca a seu tempo.

29 - 7 - 1923

In Poesia , Assrio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[TORNAR-TE-ÁS SÓ QUEM TU SEMPRE FOSTE. ]
Voltar