É  triste a noite, é triste o luar, e a gente
      Que passa alegre faz-me triste.
      Não sei em que consiste
O que desejo e que tudo isto faz dormente.

Tudo conheço porque sonhei tudo. Sonhei
      Ou fui? Que importa ao que sou agora?
      Queria dizê-lo, como a quem já não chora.
Canção impossível, quando te cantarei?

11 - 3 - 1928

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar