Experimentei a Morte na cabeça
(No coração, só se ele parasse).
Mas, por mais que a conheça
Não se pensa a Morte: dá-se.

Que a Morte não é ser, sendo ela tudo,
Nem pessoa será, que tantas leva:
É um lá ou além, último som agudo
A que não chega a voz do vivo. Nem
Chove ou neva
Onde campa é a terra de ninguém.

Não morremos sequer: matamos a alma
Enternecida pelo corpo terno,
E ela lá vai, sua alma sua palma,
Que nem morre no Inferno.

 

Vitorino Nemésio
MORTE PENSADA
« Voltar