Se eu pudesse não ter o ser que tenho Seria feliz aqui... Que grande sonho Ser quem não saquem é se sorri! Mas eu me estranho Se em sonho me vi Tal qual no tamanho O que nunca vi.
18 - 8 - 1935

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar