A teus mimosos pés, meu bem, rendido,
Confirmo os votos, que a traição manchara;
Fumam de novo incensos sobre a ara,
Que a vil ingratidão tinha abatido:

De novo sobre as asas de um gemido
Te of’ reço o coração, que te agravara;
Saudoso torno a ti, qual torna à cara
Perdida pátria o mísero banido:

Renovemos o nó por mim desfeito,
Que eu já maldigo o tempo desgraçado
Em que a teus olhos não vivi sujeito;

Concede-me outra vez o antigo agrado;
Que mais quereis? Eu choro, e no meu peito
O punhal do remorso está cravado.

 

Bocage
VOLVENDO A AMAR DE NOVO UMA DAMA DESPREZADA
« Voltar