Se as penas com que Amor to mal me trata
quiser que tanto tempo viva delas
que veja escuro o lume das estrelas,
em cuja vista o meu se acende e mata;

e se o tempo, que tudo desbarata,
secar as frescas rosas sem colh-las,
mostrando a linda cor das tranas belas
mudada de ouro fino em bela prata;

vereis, Senhora, ento tambm mudado
o pensamento e aspereza vossa,
quando no sirva j sua mudana.

Suspirareis ento pelo passado,
em tempo quando executar-se possa
em vosso arrepender minha vingana.

Luís Vaz de Camões
[SE AS PENAS COM QUE AMOR TÃO MAL ME TRATA]
Voltar