O amor fugiu
Da minha vida.
Sinto-a perdida...
Como calmo rio

Que lento e frio
Busque guarida...
O amor fugiu
Da minha vida

Tudo se riu
Vendo mentida
A esperança ida
E me sorriu:
O amor fugiu.


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar