Já estou tranquilo. Já não 'spero nada.
Já sobre o meu vazio coração
Desceu a inconsciência abençoada
De nem querer uma ilusão.
20 - 7 - 1935

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar