Parece estar calor, mas nasce
            Subitamente
      Contra a minha face
Uma brisa fresca que se sente.
 
Assim também — pois comparar
            E que é poesia —
      A alma sente-se a ‘sperar,
Mas não conhece em que confia.
31 - 8 - 1930

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar