Bendita seja a Mãe que te gerou!
Bendito o leite que te fez crescer!
Bendito o berço aonde te embalou
A tua ama, pra te adormecer!

Bendito seja o brilho do luar
Da noite em que nasceste tão suave,
Que te deu essa candura ao teu olhar
E à sua voz esse gorjeio d’ave!

Benditos sejam todos que te amarem!
As que em volta de ti ajoelharem
Numa grande paixão fervente, louca!

E se mais que eu, um dia, te quiser
Alguém, bendita seja essa mulher,
Bendito seja o beijo dessa boca!!

In Livro de Mágoas
Florbela Espanca
« Voltar