Do que fao, e pouco , ningum o v,
mas repercute-se nos outros:
coisas ou seres, menos ar que breve
pancada seca, que segue, irradia,
vibrando no ar longe entre dizeres,
palavras leves ou risos afoitos,
urgente petio ou profecia.

Minha condio que me enfastia.
Minha a florao: acento, avisos.
Minha a liberdade ao percorrer
Timor, sem que ningum ouse querer
fazer de mim ou trapo ou fantasia.

Ningum me tolhe o passo quando fao.
Ningum me v viver o que me inspira.

 

 


In Uma Sequncia Timorense
Ruy Cinatti
PRIMEIRA MEDITAçãO
Voltar