Rasga, uma a uma, as cartas. As que foram
Flores, murchadas, deixa pelo chão.
Inúteis □ rememoram
Não o que foi, mas a recordação.
Basta a memória, que é do que existiu.
Estas da sua auréola apagada
São a sombra que passa e que fugiu.
13 - 5 - 1921

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar