No alto da  torre está o relógio,
Mais alto ainda o sol está.
Hora a hora um diz meu necrológio
O outro não fala: brilha e há.

Não sei quem mede o tempo aqui:
Se o que dá horas na alta torre
Se o que só alumia, e ri
De alguém poder supor que morre.

4 - 8 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar