Campo, nas Sirtes deste mar da vida,
aps naufrgios seus, tbua segura;
claras bonanas em tormenta escura,
habitao da paz, de amor guarida:

a ti fujo; e, se vence tal fugida
(e quem mudou lugar, mudou ventura),
cantemos a vitria; e, na espessura,
triunfe a honra da ambio vencida.

Em flor e em fruto de vero e outono
utilmente murmuram claras guas:
alegre me acha aqui, me deixa o dia.

Amantes rouxinis rompem-me o sono
que ata o descanso; aqui sepulto mgoas
que j foram sepulcros de alegria.

Luís Vaz de Camões
[CAMPO NAS SIRTES DESTE MAR DA VIDA]
Voltar