Senhora, se encobrir por alguma arte
pudera esta ocasio de meu tormento,
no creias que chegara a declarar-te
este meu perigoso pensamento;
mas, por mais que te ofenda, no sou parte
no crime de tamanho atrevimento;
ele de Amor, e dele fui forado
a que te declarasse o meu cuidado.

Se merece castigo a confiana
com que descubro agora o que padeo,
aqui pronto me tens, toma vingana,
que por to grave culpa te mereo.
Bem me podes negar toda esperana,
mas eu no desistir deste comeo;
porque Tempo e Fortuna no so parte
para deixar uma hora s de amar-te.

J que ver-te os meus olhos alcanaram,
descansem neste bem com alegria,
pois j com ver os teus tanto ganharam
quanto, estando sem v-los, se perdia.
Que glria querem mais, se a ver chegaram
aquela pura luz que vence ao dia?
Qual mor bem h no mundo que querer-te,
se no h mais que ver despois de ver-te?

Minhas dores mortais, bela Senhora,
tiraram a virtude ao sofrimento
e, fazendo-se mais em qualquer hora,
levando vo trs ti meu pensamento.
Porm, soberbos vejo desde agora
por a causa gentil de seu tormento
minha alma, meu desejo, meu sentido,
porque tua beleza se ho rendido.

A par de tua rara fermosura
se desconhece o mor merecimento;
a tua claridade torna escura
do sol a clara luz em um momento.
Se Zuxis, ao formar bela figura,
a vista em ti pudera pr atento,
mais alto original houvera achado
para admirar o mundo co traslado.

Aqueles que escreveram mil louvores
de fermosura, graa e gentileza
todos foram, Senhora, uns borradores
de tua perfeitssima beleza.
Agora se v claro em teus primores
que em ti se esmerou mais a Natureza,
e que eram os seus cantos profecias
do que havias de ser em nossos dias.

V, pois, se vinha a ser culpvel falta
em mim o no render-te amante a vida
e se a deixar de amar glria to alta
era digno da pena mais crecida:
Enfim, eu te amarei, que Amor me exalta
co castigo de culpa assi atrevida;
e, quando dela caia, maior glria
ter o Tejo que o P com sua histria.

Luís Vaz de Camões
[SENHORA SE ENCOBRIR POR ALGUMA ARTE]
Voltar