noite pura e linda. Abro a minha janela
E olho suspirando o infinito cu,
Fico a sonhar de leve em muita coisa bela
Fico a pensar em ti e neste amor que teu!

D'olhos fechados sonho. A noite uma elegia
Cantando brandamente um sonho todo d'alma
E enquanto a lua branca o linho bom desfia
Eu sinto almas passar na noite linda e calma.

L vem a tua agora... Numa carreira louca
To perto que passou, to perto minha boca
Nessa carreira doida, estranha e caprichosa

Que a minh'alma cativa estremece, esvoaa
Para seguir a tua, como a folha de rosa
Segue a brisa que a beija... e a tua alma passa!...


In O Livro D'ele
Florbela Espanca
Voltar