O que o seu feitio revela
Sabe à vista como um gomo,
E a vida tem fome dela
Nos dentes do seu assomo.

Nela mesma vigilante,
A esse corpo de amor,
Espreita próximo e distante,
O sei tigre interior.


In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar