Prometi j mil vezes de emendar-me,
propus j duas mil de converter-me;
mas quando, no fim, quis determinar-me,
de quanto prometi fui esquecer-me.

Eu mesmo a mi no posso obedecer-me,
posto que bem trabalho refrear-me;
Deus sabe quanto temo de perder-me
e quanto custar poder salvar-me.

Mas qual ser Senhor, o duro peito,
a quem vosso Amor no est dando
de se poder salvar gr confiana?

No bastam quantos males tenho feito
nem ver-me em tal estado qual eu ando
que de salvar-me perca a esperana?

Luís Vaz de Camões
[PROMETI JÁ MIL VEZES DE EMENDAR-ME]
Voltar