«A esta hora 
na infância neva, 
e alguém me leva 
pela mão. 
Quem me trouxe de tão 
longe senta-se agora 
à minha cabeceira 
pegando-me na mão. 
Senhor, que ao menos 
a infância permaneça, 
o espírito da neve 
desfolhando-se no chão! 
O médico disse que 
as cicatrizes 
do coração 
permanecem.» 
 
 
  Sábado, 28 de Março 


In POESIA REUNIDA , Assírio & Alvim, 2001
Manuel António Pina
« Voltar