Lembro-me vagamente
Ou sonho sem me lembrar?
Havia água corrente
Nesse lugar.

Que lugar? Ora, era onde a quinta
Nos parecia que acabava
Mas não lhe servia de cinta
O muro que ali perto se avistava.

E o som da água a correr
Cercava-nos, como me cerca
O relembrar, de o esquecer,
Até que a música se perca.

30 - 10 - 1935

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar