Ide buscá-la, Desejos,
Pela mão a conduzi.
E tu, de amor serena flor,
Traz a alma cheia de beijos
Que eu tenho sede de ti.

Além do sono e do sonho
Nos teus braços quero ir.
(Ah, como é triste tudo o que existe!)
Quero sentir-me risonho
Sem passado nem porvir

E assim eternamente
No teu seio me ficar,
Dúbios, perdidos, os meus sentidos,
Vago ser que apenas sente
Que está além do chorar.

15 - 11

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar