Ondados fios de ouro, onde enlaado
continuamente tenho o pensamento;
que, quanto mais vos solta o fresco vento,
mais preso fico ento de meu cuidado.

Amor, de uns belos olhos sempre armado,
me combate co'as foras do tormento,
provando da minha alma o sofrimento
que justa lei da paz trago obrigado.

Assi que em vosso gesto mais que humano
amo a paz juntamente e o perigo,
e em amar um e outro no me engano.

Muitas vezes dizendo estou comigo
que pois tal a causa de meu dano,
justa a guerra, justa a paz que sigo.

 

Luís Vaz de Camões
[ONDADOS FIOS DE OURO ONDE ENLAÇADO]
Voltar