Razo j que minha confiana
se dea de ũa falsa opinio;
mas Amor no se rege por razo:
no posso perder logo a esperana.

A vida, si; que ũa spera mudana
no deixa viver tanto um corao.
E eu na morte tenho a salvao,
si; mas quem a deseja no a alcana.

Forado logo que eu espere e viva.
Ah! dura lei de Amor, que no consente
quietao Nũa alma que cativa!

Se hei-de viver, enfim, foradamente,
para que quero a glria fugitiva
de ũa esperana v que me atormente?

Luís Vaz de Camões
[RAZÃO É JÁ QUE MINHA CONFIANÇA]
Voltar