Quem vos levou de mi, saudoso estado,
que tanta sem-razo comigo usastes?
Quem foi? Por quem to presto me negastes,
esquecido de todo o bem passado?

Trocastes-me um descanso em um cuidado
to duro, to cruel, qual me ordenastes;
a f, que tnheis dado, me negastes,
quando mais nela estava confiado.

Vivia sem receio deste mal;
Fortuna, que tem tudo a sua merc,
amor com desamor me revolveu.

Bem sei que neste caso nada val,
que, quem naceu chorando, justo
que pague com chorar o que perdeu.

Luís Vaz de Camões
[QUEM VOS LEVOU DE MI SAUDOSO ESTADO]
Voltar