Vinham, loucas, de preto
Ondeando até mim
Pelo jardim secreto
Na véspera do fim.

Nos olhos loucos tinham
Reflexos de um jardim
Que não o por onde vinham
Na véspera do fim.

Mas passaram... Nunca me viram...
E eu quanto sonhei afim
A essas que se partiram
Na véspera do fim.

10 - 4 - 1927

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar