Minha alma é o meu exílio, as minhas sensações
São a paisagem do desterro...
O gozo com que gozo os poentes e os verões,
A certeza com que olho o céu, e
Sabem-me a dor e a erro.

E a paisagem, não sei porquê, lembra-me a vaga
Pátria que mal recordo.
Lembra-me só que era outra que isto, rio e fraga.
E isto não sei porquê recorda-ma e me afaga
Com que ali  acordo.


 espaço deixado em branco pelo autor


[1913]

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar