Por trás da torre o luar
Faz a torre uma outra torre.
A voz alegre a cantar
É-me triste, a escutar,
Pois sei que quem canta morre.
Tenho pena de sentir
Porque sentir é pensar.

A torre é negra e esplendente.
A lua oculta por ela
E um halo de luz ausente.
Meu coração é dormente:
Cisma sentado à janela.
Tenho pena de pensar
Porque quem pensa não sente.
13 - 6 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar