Tomar nas minhas mãos o sopro suave
Que aflora à tua boca.
Levá-lo aos meus lábios e beijá-lo
Como quem, timidamente,
Se debruça e escuta
O fluir do orvalho
Sobre as flores da aurora

 


In Anoitecendo a Vida Recomeça
Ruy Cinatti
« Voltar