MOTE

Vi chorar uns claros olhos
quando deles me partia.
Oh que dor, oh que alegria!

VOLTAS

Polo meu apartamento
se arrasaram todos d' gua.
quem cuidou que em tanta mgoa
achasse contentamento?
Julgue todo entendimento
qual mais sentir se devia:
se esta dor, se esta alegria.

Quando mais perdido estive,
ento deu a esta alma minha,
na maior mgoa que tinha,
o maior gosto que tive.
Assi, se minh' alma vive,
foi porque me defendia
desta dor esta alegria.

O bem que Amor me no deu
no tempo que o desejei,
quando dele me apartei,
me confessou que era meu.
Agora que farei eu,
se a fortuna me desvia
de lograr esta alegria?

No sei se fui enganado,
pois me tinha defendido
das iras de mal querido
no mal de ser apartado.
Agora peno dobrado,
achando no fim do dia
o princpio d' alegria.

 

Luís Vaz de Camões
[VI CHORAR UNS CLAROS OLHOS]
Voltar