Fermosos olhos, que cuidado dais
mesma luz do sol mais clara e pura,
que sua esclarecida fermosura
com tanta glria vossa atrs deixais:

se, por serdes to belos, desprezais
a fineza de Amor, que vos procura,
pois tanto vedes, vede que no dura
o vosso resplandor quanto cuidais.

Colhei, colhei do tempo fugitivo
e de vossa beleza o doce fruto
que em vo, fora de tempo, desejado.

E a mi, que por vs mouro e por vs vivo,
fazei pagar a Amor o seu tributo,
contente de por vs lho haver pagado.

Luís Vaz de Camões
[FERMOSOS OLHOS QUE CUIDADO DAIS]
Voltar