Com a brisa da tarde
      Desce um vasto sossego
Sob a triste cidade
      Fito a cidade e sou cego
Para mais que um todo em luz
      E sinto como uma cruz
Que a minha alma trouxesse.
      Um vasto sossego desce.
28 - 4 - 1921

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar