Entre a noite que cessa
E o começar do dia,
Meu coração tem pressa
Da tua nostalgia.

Não é que te deseje
Ou te quisesse ter,
Ou em sonhos, voando, beije
A ideias de te ver.

Quer só tua saudade;
Ama o lembrar-te, e não
A sombra da verdade
Ou o corpo da ilusão.

24 - 7 - 1930

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar