(Eleição da Terra)

 

Só olho para o céu
nas noites de lua despida
para atar os olhos nas estreias
e ver melhor de lá a Terra e a vida.

A Terra dos braços dos teus rios.
A Terra dos olhos dos teus lagos.
A Terra do corpo do teu mar.

A Terra em que apetece ser crepúsculo
para adormecer e sonhar.


In Idílio de Recomeço
José Gomes Ferreira
« Voltar