Se a cada coisa que há um deus compete, 
Por que não haverá de mim um deus? 
      Porque o não serei eu? 
É em mim que o deus anima porque eu sinto.
O mundo externo claramente vejo —
      Coisas, homens, sem alma.
12 - 1931

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, 2000
Ricardo Reis
[SE A CADA COISA QUE HÁ UM DEUS COMPETE ]
« Voltar