Inúteis correm os meus dias lentos.
Pecam cansaço minhas horas mortas.
Fechadas, por abrir, todas as portas;
Corredores desertos os momentos...

Fictícia dor dos tédios sonolentos,
Tornada real desde que a ela exortas,
Vida perdida — ideias vãs absortas
No trivial profundo dos concorrentes.
 
A página difusa em dialéctica
Tornou vazia a convicção da vida
A memória doente urra de ecléctica.

O sonho se confunde com a imagem
E o pensamento, sei eu, na descida,
Vê começar a impossível viagem.

13 - 12 - 1924

In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar