De Lus de Cames a El-Rei D. Sebastio, saindo aos touros.


No corre o cu o astro to fermoso,
nem pelo alto ar o nebri voa:
um to claro, to puro e to lustroso,
outro que to ligeiro os ares coa;
como tu, Sebastio, Rei glorioso
ds nova luz ao lume da coroa
em teu ginete zaro que, voando,
a terra, por ser teu, vai desprezando.

Luís Vaz de Camões
[NÃO CORRE O CÉU O ASTRO TÃO FERMOSO]
Voltar