As louras e pálidas crianças
—Dlon...
Desprendem a chorar suas tranças
— Dlon...
Quem nos dirá donde é esse pranto
—Dlon...
Sabê-lo tirar-lhe-ia o encanto
—Dlon...
Que fique sempre como elas vago
—Dlon...
Folha caída à tona do lago
—Dlon...
Que nos inspire e o não percebamos
— Dlon...
Que só se sinta em nós que o amamos
—Dlon...
Que seja para nós som de fonte
— Dlon...
Que seja o mistério do horizonte
—Dlon...
Tristeza que dorme em vale e monte
Dlon...
Tristeza vaga, dor, vago som
Dlon...
15 - 2 - 1912

In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005
Fernando Pessoa
« Voltar