Chega através do dia de névoa alguma coisa do esquecimento, 
Vem brandamente com a tarde a oportunidade da perda. 
Adormeço sem dormir, ao relento da vida. 

É inútil dizer-me que as acções têm consequências. 
É inútil eu saber que as acções usam consequências. 
É inútil tudo, é inútil tudo, é inútil tudo. 

Através do dia de névoa não chega coisa nenhuma. 

Tinha agora vontade 
De ir esperar ao comboio da Europa o viajante anunciado, 
De ir ao cais ver entrar o navio e ter pena de tudo. 

Não vem com a tarde oportunidade nenhuma.
 

 

21 - 4 - 1930

In Poesia , Assírio & Alvim, ed. Teresa Rita Lopes, 2002
Álvaro de Campos
« Voltar