Mulher do capelista, acaba a empresa,
Que o mundo sem razão chamou tirana;
Vai açoitando esse infeliz banana,
Nódoa do sexo, horror da natureza:

           A vil rapaziada portuguesa
Com falsa cantilena o povo engana;
Nem coifas inventaste à castelhana,
Nem as vastas fivelas à maltesa;

            De mais invenção é bem te prezes;
Legislando melhor que Tito, ou Numa,
Emendaste uma lei dos Portugueses:

            Não padece isto dúvida nenhuma;
A lei açoita a quem casar duas vezes;
Tu mostras que contigo basta uma.

 

Nicolau Tolentino
A MULHER QUE AçOITOU O MARIDO
« Voltar