Tive quem me amasse,
Tive quem amei.
Hoje em minha face
De quem fui corei.

Tive essa vergonha
De ser hoje e aqui,
O que sempre sonha
E não sai de si,

E de recordar
Que não posso haver
Mais que assim sonhar
Do que pude ser.

6 - 8 - 1934

In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006
Fernando Pessoa
« Voltar