Pensamentos, que agora novamente
cuidados vos em mim ressuscitais,
dizei-me: ainda no vos contentais
de terdes quem vos tem to descontente?

Que fantasia esta, que presente
cada hora ante meus olhos me mostrais?
Com sonhos e com sombras atentais
quem nem por sonhos pode ser contente?

Vejo-vos, pensamentos, alterados;
e no quereis, de esquivos, declarar-me
que isto que vos traz to enleados?

No me negueis, se andais para negar-me;
que, se contra mim estais alevantados,
eu vos ajudarei mesmo a matar-me.
 

Luís Vaz de Camões
[PENSAMENTOS QUE AGORA NOVAMENTE]
Voltar