Quem pode livre ser, gentil Senhora,
vendo-vos com juzo sossegado,
se o Minino que de olhos privado
nas mininas dos vossos olhos mora?

Ali manda, ali reina, ali namora,
ali vive das gentes venerado;
que o vivo lume e o rosto delicado
imagens so, nas quais o Amor se adora.

Quem v que em branca neve nacem rosas
que fios crespos de ouro vo cercando,
se por antre esta luz a vista passa,

raios de ouro ver, que as duvidosas
almas esto no peito traspassando,
assi como um cristal o Sol traspassa...

Luís Vaz de Camões
[QUEM PODE LIVRE SER GENTIL SENHORA]
Voltar