Pelo souto de Crexente
ũa pastor vi andar
muit’alongada de gente
alçando voz a cantar
apertando-se na saia
quando saía la raia
do sal nas ribas do Sar.


E as aves que voavam,
quando saía l’alvor,
todas d’amores cantavam
pelos ramos d’arredor,
mais nom sei tal qu’i ‘stevesse
que em al cuidar podesse
senom todo em amor.


Ali' stivi eu mui quedo,
quis falar e nom ousei,
empero dix’a gram medo:
— Mia senhor, falar-vos-ei
um pouco, se mi ascuitardes
e ir-m’ei quando mandardes,
mais aqui não estarei.


— Senhor, por santa Maria,
nom estedes mais aqui,
mas ide-vos vossa via,
faredes mesura i,
ca os que aqui chegarem,
pois que vos aqui acharem,
bem diram que mais ouv’i.

 

Joam Airas de Santiago
« Voltar