Era uma vez urna casa
Muito grande
Com um tecto sem fim
Nem sempre azul
Uma casa enorme
Onde habita uma grande família
Uma família tão grande
Que os seus irmãos julgam que se não conhecem
E todos se conhecem
E todos se devem amar.
Nesta casa há guerra
E eu choro a um canto desta casa
Inútil choro
É terrível ouvir este próprio chorar

In Voz Nua , Livros Horizonte, 1986
Matilde Rosa Araújo
« Voltar