Ante uma pobre multidão ignorante,
Em alta voz, um louco militante
Gritava um discurso socialista;
Mas termos tão pomposos e pesados,
Numa forma científica e artística,
Acompanhavam os gestos só gritados,
Que a multidão em seu silêncio escutava
No claro desejo de aclamar,
À espera de qualquer forte palavra
Que entendesse, para poder louvar.

«Procrastinadores, bandidos
Reaccionários, servis
Gentes completamente vis!»
Deste modo pomposo se expressava,
Inspirado, e a multidão escutava.
«Cada um de vós», continuou então,
«Senhor vaidoso do dinheiro,
Eu excomungo aqui o espertalhão
Perante o trono severo da Justiça
Cada um que detesto e que eu odeio...»

Nisto, um riso de aplauso rude vem
E o silêncio do povo foi rompido.
«Essas palavras», gritaram num rugido,
«E que nós entendemos muito bem!»


In Poesia , Assírio & Alvim , edição e tradução de Luisa Freire, 1999
Alexander Search
« Voltar